<thead id="pb3hn"><ins id="pb3hn"></ins></thead>
<var id="pb3hn"></var>
<cite id="pb3hn"></cite>
<var id="pb3hn"></var>
<var id="pb3hn"><strike id="pb3hn"><thead id="pb3hn"></thead></strike></var><cite id="pb3hn"><video id="pb3hn"></video></cite>
<cite id="pb3hn"><span id="pb3hn"><menuitem id="pb3hn"></menuitem></span></cite><var id="pb3hn"></var>
<var id="pb3hn"></var><var id="pb3hn"><strike id="pb3hn"></strike></var>
<thead id="pb3hn"><del id="pb3hn"><strike id="pb3hn"></strike></del></thead>
<cite id="pb3hn"><strike id="pb3hn"><thead id="pb3hn"></thead></strike></cite>
<var id="pb3hn"><strike id="pb3hn"></strike></var>

O custo do trabalho em Portugal e na UE (2)

– Entre 2004 e 2017 o custo hora do trabalho em Portugal aumentou 2,8€, enquanto a média na UE foi 2,5 vezes superior
– Em 2017 o custo hora do trabalho em Portugal correspondia apenas a 46,5% da zona euro

por Eugénio Rosa [*]

No estudo anterior analisamos a evolução percentual do custo hora da mão-de-obra em Portugal e na União Europeia entre o 1º Trim.2017 e o 1º Trim.2018 e concluímos que foi apenas em Portugal que se verificou uma variação negativa (-1,5%), enquanto em todos os outros países da UE se registou um aumento (em média +2,7%), o que revela o aumento da sobre-exploração do trabalho em Portugal no período considerado. Neste estudo, para completar o anterior, e utilizando também só dados do Eurostat, vamos analisar o custo da mão-de-obra nos países da UE em euros, para que se possa ficar com uma ideia clara da diferença que separa Portugal dos restantes países e das consequências do acordo de concertação social assinado entre a UGT/Patrões/ Governo que este tenciona que seja aprovado na Assembleia da República.

UMA POLÍTICA DE MANUTENÇÃO DE BAIXOS SALÁRIOS EM PORTUGAL: UGT/PATRÕES/GOVERNO

Como mencionamos no estudo anterior, segundo o Eurostat, o custo hora da mão-de-obra obtém-se dividindo todos os gastos que o empregador tem com os seus trabalhadores (ordenados, salários, subsídio de refeição e outros, contribuições para a segurança social, etc) pelas horas trabalhadas. O gráfico 1, do Eurostat, mostra a situação atual de Portugal no contexto da UE.

'.

Em 2017, o custo hora do trabalho em Portugal era apenas de 14,1€, enquanto a média nos países da União Europeia era de 26,8€, ou seja, 90% mais. Mas o quadro 1, também com dados da Eurostat, mostra com maior clareza o que aconteceu entre 2004 e 2017 nesta área.

'.

Entre 2004 e 2017, o custo hora do trabalho aumentou em Portugal 2,8€ (entre 2015/2017, subiu 40 cêntimos segundo o Eurostat), enquanto a média na UE foi de 7€. Este menor crescimento do custo do trabalho em Portugal determinou que, entre 2004 e 2017, quando se compara o do nosso país com a média da UE, o custo hora de trabalho em Portugal tenha diminuído de 57,1% para apenas 52,6% da média da UE. Em relação aos países da Zona Euro, diminuiu de 49,1% para 46,5%. Portanto, a remuneração dos trabalhadores portugueses ao invés de se aproximar da média da UE está-se a afastar. Em Portugal a sobre-exploração aumentou. E agravar-se-á ainda mais com o acordo UGT/Patrões/governo, como se provou no nosso estudo anterior.

23/Junho/2018
[*] edr2@netcabo.pt

Este artigo encontra-se em http://resistir.info/ .
25/Jun/18
欧美ZOOZZOOZ视频,亚洲熟伦熟女专区,波多野结AV在线无码中文,国产精品自拍